LIVROS

ENQUANTO O TEMPO NÃO PASSA

Livro novo em plena pandemia? Sim! “Enquanto o tempo não passa” traz crônicas sobre diversas formas de arte: filmes, livros, peças, canções. Aqui a conversa é livre e Stella conta tudo, de O fantasma da ópera a Lupicínio Rodrigues, de O poderoso chefão a Franz Kafka, de Branca de neve a Sob a pele do lobo, de Super-homem a Um bonde chamado desejo, de Catfish a O pequeno príncipe. Por que um livro como esse agora? É a autora quem responde: “A arte está tão entranhada no nosso cotidiano que, muitas vezes, sequer a percebemos, mas ela continua lá, garantindo nossa sanidade, protegendo nossa humanidade. Ontem vi na TV o depoimento de um enfermeiro estadunidense. Ele contava que após um plantão especialmente difícil, ao voltar para casa, ligou o rádio do carro e foi invadido por uma linda música que o fez cair no choro. A canção o relembrou como a vida costumava ser antes da pandemia e que, a despeito da guerra que atravessava no hospital, ainda havia beleza no mundo. Não duvide: beleza gera esperança. E esperança ativa molda vida nova.”  Pela e-galáxia, apenas em e-book.

LOUCURA DE ESTIMAÇÃO

Esse livro é o companheiro perfeito de quem ama, mas não é amado na mesma medida – e deseja se curar dessa loucura. As personagens de Stella não economizam desabafos ao longo de 51 crônicas, tais como: “Eu me recuso a manter mágoa ou dor ou carinho ou compaixão ou amizade com alguém que não percebeu que tinha um tesouro nas mãos. Um tesouro não se autoproclama: ele é. Aproveita o tesouro quem tem inteligência e sensibilidade: quem não tem, volta, cedo ou tarde, à sua própria miséria”. 

EU ME POSSUO

É possível abordar com leveza um tema tão duro quanto o estupro sem perder a profundidade? A resposta é sim e a prova é o romance “Eu me possuo”. Na história acompanhamos o empoderamento de Karina, uma mulher que decide abandonar a odontologia e abrir um bar. Sua vida então passa por várias revoluções: profissional, sexual, psicológica, afetiva, familiar. Quando se vê à vontade nessa nova fase, Karina reencontra Gustavo Jota, o homem que a estuprou seis anos antes. O que se segue a partir daí é o caminho para a libertação do antigo trauma. Essas realmente são páginas que curam!

OS INDECENTES

É raro encontrar um texto elegante, inteligente e franco, quando se trata de amor e sexo. As 100 crônicas deste livro são indecentes, bem-humoradas, dramáticas, furiosas, hilárias... Stella, avaliando seu conteúdo explosivo, comenta: “Hoje eu cortaria alguns textos e alteraria outros: ainda bem. Que tipo de pessoa eu seria se não amadurecesse?". 

SÓ SAIO DAQUI MAGRA!

(Romance indicado ao público adolescente). Camila se acha gorda – e seu namorado confirma essa impressão. Desse modo, ela faz as malas, compra um diário e vai para o SPA. Seu objetivo é bem claro: “Só saio daqui magra!” Porém, ao cruzar seus muros, Camila mergulha num universo muito além de quilos e calorias. Pessoas com as quais ela jamais imaginou conviver confessam suas carências, medos, escândalos, vícios, corações partidos, segredos, saudades. Além de se emocionar, Camila se diverte, amadurece e aprende a amar o próprio corpo. 

32 - 32 anos, 32 homens, 32 tatuagens

Para criar esse romance ficcional, em 2009, Stella se inspirou na personagem icônica Blanche Dubois de Tennessee Williams. Aqui, uma mulher, ao completar 32 anos, decide fazer uma tatuagem para cada homem que passou por sua cama - não como uma homenagem, mas como um dreno para sua fúria. Enquanto sua pele é queimada pelas tatuagens, vêm à tona intenções menos nobres, situações perigosas, um ambiente familiar sufocante, uma loucura de estimação, uma viagem à Austrália, e muita angústia sob a capa do sexo compulsivo. Leitura para quem não suporta mais amar e, ainda assim, ama desesperadamente.

O DIABO QUE TE CARREGUE!

Stella emprestou, de forma cômica e a pedido da editora, seu rosto para a capa desse livro, embora ele seja um romance ficcional inspirado por várias amigas da autora cujos relacionamentos terminaram na mesma época. Assim nasceu essa mulher que está se separando de seu par romântico exatamente agora. Portanto, não espere que ela seja razoável, coerente ou justa. Ela está magoada e furiosa - e vai atirar para todos os lados, inclusive contra si mesma. Ainda assim, cheia de humor ácido, ela caminha. Quanto às fotos ilustrativas, Stella esclarece: "Literatura ficcional é o que eu faço desde o primeiro livro: não só o corpo dos livros, mas até mesmo os prefácios, os textos de orelha e quarta-capa, introduções, fotos (fotos me usando como personagem), crônicas em revistas, foram (e continuam sendo) igualmente peças de ficção a serviço da literatura". Aos leitores cabe a melhor parte: se deliciar com sua arte!  

SER MENINA É TUDO DE BOM!

(Crônicas recomendadas ao público infanto-juvenil: dos 9 aos 16 anos). Stella trata de assuntos que interessam a essa faixa etária num clima de bate-papo informal. Nada ficou de fora, desde os temas mais práticos como beleza, sobrepeso, escola, família, amigos até os mais delicados como sexo, religião, suicídio, morte, separação dos pais.Com valiosas dicas e reflexões, este livro é para fazer pensar, compreender, sentir,conhecer o mundo, ou seja, para ajudar a crescer. E a se divertir, também.

CIÚME, CHULÉ E UM APELIDO RIDÍCULO

Será que o ciúme faz mesmo parte do amor? E por que aquele que sofre com o ciúme se submete a um parceiro muitas vezes irracional? Antes de articular uma resposta, você precisa acompanhar, nesse romance ficcional, os namorados Laura e Alexandre. 

ELE ME TROCOU POR UMA PORCA CHAUVINISTA

Nessas páginas Stella nos faz refletir sobre o machismo feminino através da saga surreal de Virgínia, uma mulher de 42 anos que, depois de dois filhos e um longo casamento, é abandonada pelo marido. Tomada por uma triste ideia fixa (o que a outra tem que eu não tenho?), Virgínia se envolve em insanas aventuras até escalpelar não só a personalidade da nova esposa de seu ex, mas também de toda uma geração que com ela se identifica. 

POR QUE OS HOMENS NÃO CORTAM AS UNHAS DOS PÉS?

Nos contos desse livro, muitas mulheres falam de seus homens, alguns homens falam de suas mulheres e quase todos estão falando de seus romances no exato ponto em que algo de errado. O texto hilário que dá título ao livro mostra uma mulher que acaba de ser abandonada e que, para não entrar em contato com a dor do abandono, foca toda sua energia num traço insólito do companheiro: o fato dele raramente cortar as unhas dos pés. 

HOJE ACORDEI GORDA

Você já desconfiou que, talvez, sua fome não seja só de comida? Em “Hoje acordei gorda” todas as personagens - embora tenham, cada uma, sua própria história - possuem um ponto em comum: uma relação muito estreita com a comida. O prefácio de Mario Prata já é uma entrada deliciosa: nele, o consagrado autor, afirma que Stella Florence não existe, ou melhor, que é um pseudônimo seu e que, portanto, o livro foi escrito por ele. A confusão gerada na época por esse prefácio apenas consolidou a escolha de Stella: desde o primeiro livro, a ficção está a serviço de sua arte. 

Please reload

ANTOLOGIAS

  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Wix Facebook page
O Livro dos Sentimentos